O conjunto de ferramentas Depth to Basement fornece um método automatizado para determinar a posição, a imersão e a intensidade dos corpos de fontes magnéticas para um perfil magnético. As profundidades são determinadas usando as técnicas de Deconvolução de Werner, Sinal Analítico e Deconvolução de Euler Estendido.

O conjunto de ferramentas Depth to Basement disponibiliza um método automatizado para determinar a posição (ou seja, distância ao longo do perfil e da profundidade), imersão (ou seja, orientação) e intensidade (como, suscetibilidade) dos corpos de fontes magnéticas para um perfil magnético. Com contrastes grandes e distintos de densidade, essas ferramentas também podem ser usadas em perfis de gravidade para determinar a posição dos corpos de fonte gravimétrica.

Três diferentes técnicas de profundidade do embasamento estão incluídas – Deconvolução de Werner, Sinal Analítico e Deconvolução de Euler Estendido. Cada função Depth to Basement usa uma técnica distinta para determinar a profundidade da fonte. Cada função tem vantagens em situações geológicas específicas. A aplicação de várias funções à mesma geologia melhora muito a confiabilidade dos resultados.

As soluções são salvas em um banco de dados do Oasis montaj (GDB), que permite visualizar imediatamente os resultados no perfil, editar as soluções e traçar as soluções em mapas em 2D e 3D. As funções adicionais também permitem agrupar soluções, exportar soluções para modelos GM-SYS e gerar modelos GM-SYS preliminares a partir de perfis de dados.

Deconvolução de Werner

A função Deconvolução de Werner é uma função automatizada para determinar a profundidade da fonte a partir de perfis. Ela se baseia na conhecida técnica de Deconvolução de Werner (Werner, 1953; Ku& Sharp, 1983).

O usuário pode controlar os parâmetros de Werner para personalizar o aplicativo para cada situação. O GX de Deconvolução de Werner calcula a derivada horizontal ou você pode fornecer a própria derivada horizontal pré-calculada para obter maior controle. O parâmetro “Residual cut-off” (Teor de corte residual ajustável) permite o controle ao separar o “sinal” do ruído. O GX de Deconvolução de Werner assume que os corpos da fonte são diques ou contatos com extensão de profundidade infinita e usa uma abordagem de mínimos quadrados para resolver os parâmetros do corpo da fonte em várias janelas móveis ao longo do perfil. O usuário especifica o intervalo de tamanhos das janelas e os incrementos entre os posicionamentos das janelas para, assim, aumentar a precisão da solução.

Sinal analítico

A função Sinal Analítico é uma função automatizada que permite determinar soluções de profundidade de sinal analítico a partir de perfis magnéticos e gravimétricos. A função Analytic Signal é baseada no programa U.S.G.S. PDEPTH (Phillips, 1997), que é baseado no método Nabighian publicado por Misac Nabighian. (1972, 1974).

Os perfis de dados de entrada são interpolados para um intervalo de amostras uniformes usando o método padrão Spline do Oasis antes do processamento com o GX de Sinal Analítico. O intervalo de amostras é o comprimento total do perfil dividido pelo número de pontos nesse perfil. Portanto, perfis com grandes lacunas devem ser divididos em várias linhas.

A técnica Sinal Analítico calcula primeiro o sinal analítico do perfil de dados de entrada usando uma Transformada de Hilbert. Os picos locais no perfil da função Sinal Analítico são interpretados como cantos dos corpos da fonte e a forma do pico contém informações sobre a profundidade do canto. Na ausência de ruído de alta frequência e sobreposição de dados, as localizações horizontais da função Sinal Analítico são altamente precisas.

Para perfis de dados de entrada com ruído, os resultados podem ser melhorados de maneira significativa filtrando dados de gradiente e anomalias de dados de entrada. O GX de Sinal Analítico usa uma técnica de filtragem FFT para calcular a derivada horizontal se o usuário não especificar um canal gradiente de dados de entrada.

Deconvolução de Euler Estendido

A função Deconvolução de Euler Estendido é uma função automatizada para determinar a profundidade da fonte a partir de perfis. Ela é baseada no artigo de Mushayandebvu e outros, (2001).

A função Deconvolução de Euler Estendido calcula os perfis derivados horizontais e verticais ou você pode fornecer os seus. Se os seus perfis de dados de entrada tiverem ruídos, você poderá melhorar o desempenho da função Deconvolução de Euler Estendido de maneira significativa filtrando ou suavizando os perfis antes de executar essa função.

O número de soluções geradas é controlado por quatro parâmetros. . . Os parâmetros de profundidade “Min.” e “Max.” definem os valores mínimo e máximo do teor de corte de profundidade. O parâmetro “Window Length” (Comprimento da janela) define o comprimento do operador de Euler Estendido, que é movido pelo perfil e usado para cada cálculo. O parâmetro “Max % error” (Porcentagem máxima de erro) filtra soluções que diferem em profundidade em mais do que essa porcentagem quando calculadas pelos cálculos de Euler e Euler Estendido.

A rotina do cálculo de Euler Estendido usada nesta ferramenta foi fornecida pela GETECH™ e é baseada no artigo de Mushayandebvu e outros, (2001). Esta abordagem calcula soluções usando a equação de Euler Convencional, Reid e outros, (1990) e a equação de “restrição rotacional” de Euler Estendido. Resolver as duas equações juntas (Euler Estendido) fornece distância, profundidade, mergulho e suscetibilidade, presumindo que não haja magnetização remanescente. O uso de Euler Convencional permite uma segunda estimativa para distância e profundidade. Se a diferença relativa em profundidade para as duas estimativas for menor do que a Porcentagem máxima de erro informada pelo usuário, a solução será mantida; caso contrário, ela será rejeitada.

Veja todas as extensões do Oasis montaj

Transforme dados de geofísica, de geologia, do GIS e de geoquímica em um só lugar.

Visualize as extensões