Soluções especializadas para aqueles que estão trabalhando na indústria de meio ambiente e precisam abordar tudo, desde a colaboração entre os profissionais, até uma comunicação clara, para finalmente serem tomadas as devidas decisões de projeto, as quais terão sido analisadas de forma minuciosa.

“Se uma imagem vale por mil palavras, uma visualização em 3D, com todos os dados e infraestrutura georreferenciados, vale por um milhão de palavras.”

O setor de áreas contaminadas apresenta desafios peculiares aos consultores que trabalham nesse meio. É um campo das ciências ambientais complexo e desafiador em que o fato de ser chamado por um cliente para analisar uma área potencialmente contaminada significa que as notícias provavelmente não serão boas – ou simples de serem resolvidas.

O que sucede desse cenário provavelmente será muito caro. Obrigações legais serão rigorosas e estressantes, impasses podem ocorrer e os stakeholders irão variar na sua compreensão dos problemas envolvidos. Seu papel será de navegar por todas essas demandas de forma a minimizar custos e atrasos e, ao mesmo tempo, elaborar um projeto confiável e preciso caso um processo judicial venha surgir. (Considerando as diversas ações judiciais que podem resultar de casos de contaminação, os riscos de se cometer erros é intimidador, para dizer o mínimo).

Ao mesmo tempo, você terá que explicar suas soluções a todos, desde às empresas contratadas,

aos engenheiros e geólogos até aos representantes corporativos, autoridades jurídicas, agências reguladoras e membros da comunidade. De alguma forma, você terá que dar vida à natureza complexa da subsuperfície com a qual você está lidando com cada um desses grupos. A capacidade deles de entender o que você está lhes dizendo, contextualizar isso e seguir seus argumentos irá variar radicalmente.

Mas, muito antes de chegar nesse momento, existe o desafio de reunir conjuntos distintos de dados geofísicos, geológicos e de contaminantes – sob as pressões de tempo e custo – para estabelecer uma imagem detalhada das condições para que você possa tomar os primeiros passos na abordagem dos riscos do projeto e minimizar seus impactos.

E você terá que fazer tudo isso de modo que possibilite a colaboração de um amplo leque de especialistas com facilidade. Você quer que seu cliente se sinta confiante no plano que você apresentou e pronto para acender a “luz verde” para um conjunto de ações que poderão trazer sérias consequências se estiverem erradas. Resumindo, o setor de áreas contaminadas pode ser uma corda bamba alta, fina e solitária.

Portanto, o que pode ser feito para tornar esses desafios mais manejáveis para os consultores que estão nesse setor?

O primeiro passo na resolução de um problema é conseguir enxergá-lo com clareza.

A visualização dos dados de forma clara, intuitiva e reveladora é uma ferramenta de valor inestimável no desarme de várias das ameaças e situações que um complexo projeto de contaminantes ambientais irá suscitar.

Se uma imagem vale por mil palavras, uma visualização em 3D, com todos os dados e infraestrutura no lugar, vale por um milhão de palavras.

Um modelo interativo e dinâmico do local contaminado pode ser um auxílio indispensável à sua análise, pois ele se atualizará constantemente de acordo com os dados e de forma perfeitamente integrada à medida que eles são incluídos.

Ao longo do projeto, equipes podem integrar suas diversas experiências técnicas aos dados e analisá-los de forma colaborativa para chegar nas técnicas que melhor irão solucionar ou mitigar a contaminação ambiental.

A visualização em 3D é a maneira certa de comunicar a mensagem resultante a todos os stakeholders, sejam especialistas técnicos ou apenas uma pessoa da comunidade. Para cada stakeholder que compreenda instantaneamente o que significa 20 metros de profundidade, terá outro para o qual o número não faz nenhum sentido. Mas, represente isso como um prédio de seis andares em uma visualização em 3D e todos entenderão que escavar até essa profundidade não seria uma boa ideia.

O ato de ver em 3D se encaixa com os processos cognitivos dos seres humanos e nos permite enxergar respostas e resultados que ficariam obscuros em documentos escritos e em números de planilha. Isso é ainda mais verdadeiro para públicos-alvo mais leigos, como, por exemplo, advogados, proprietários, agências reguladoras e o público em geral. Os modelos 3D podem dar a eles uma janela para as mentes dos especialistas e cientistas que, de outra forma, teriam dificuldades em transmitir seus argumentos.

Eles também teriam um valor inestimável no provimento de transparência. Os projetos são executados com mais facilidade quando todos compreendem o objetivo final e o caminho até ele, criando, dessa forma, maior confiança na gestão do projeto.

O valor dos dados e das análises reunidos como uma única fonte de verdade

Até as visualizações mais deslumbrantes não valem nada se elas não forem baseadas em todos os dados de entrada e experiência de todos os envolvidos. Para você ter plena confiança em seu modelo, você precisa ter a capacidade de colaborar com outros especialistas de forma eficiente durante o desenvolvimento do mesmo. Projetos de áreas contaminadas precisam que cientistas ambientais, geólogos, engenheiros, hidrogeólogos e outros profissionais estejam colaborando e contribuindo com insights das suas respectivas áreas para se obter uma única fonte de verdade.

O Seequent Central foi desenvolvido com o objetivo de romper essas barreiras disciplinares, permitindo que os especialistas compartilhem seus conhecimentos coletivamente, comentando, compartilhando e refinando seus modelos em tempo real. A colaboração simplifica fluxos de trabalho e ajudam a todos a tomarem decisões da forma mais bem informada.

Mais recentemente, nós adicionamos a Extensão de Contaminação ao Leapfrog Works para dar suporte aos cientistas ambientais nas tomadas de decisões rápidas e confiáveis ao desenvolver estratégias para áreas contaminadas. Por exemplo, a extensão pode ajudar e acelerar a criação de um modelo robusto de pluma, que será consistente diante de uma análise rigorosa e se tornará um elemento essencial na compreensão e gestão de uma área contaminada.

A integração entre o software de modelamento de subsuperfície em 3D, Leapfrog Works, e a Extensão de Contaminação, possibilita que você caracterize plumas de contaminantes em solo e em águas subterrâneas diretamente dentro de um projeto Leapfrog.

A extensão adiciona um conjunto de ferramentas de geoestatística ao Leapfrog Works, proporcionando uma interpretação robusta dos contaminantes em qualquer local com base nas distribuições dos dados. Como os resultados de modelos elaborados com a Extensão de comunicação podem ser contextualizados com o modelamento geológico, ela oferece uma experiência de modelamento integrado e um conjunto de ferramentas mais aprimorado, permitindo que os consultores prevejam qual concentração de contaminante estará em qualquer ponto dentro daquele modelo.

A auditabilidade é um ponto crucial para que seu projeto seja defensável

Por último, em um setor que sempre enfrenta o risco de processos judiciais, pode ser crucial que os consultores consigam operar em uma posição que seja defensável. Um fluxo de trabalho totalmente auditável torna essa uma tarefa transparente e fácil. Por exemplo, se um novo levantamento geofísico for finalizado e processado no Geosoft Oasis montaj, os dados podem ser importados para o Leapfrog, e o modelo geológico será atualizado automaticamente, sendo cada uma destas atualizações registrada. Em um mercado altamente regulamentado, em que agentes reguladores precisam enxergar detalhes no grau mais refinado possível, isso permite que eles interroguem as interpretações rigorosamente e compreendam como se chegou às decisões tomadas. É uma abordagem que, na linguagem mais simples possível, tira o consultor ambiental da reta.

As soluções de modelamento nem sempre funcionaram dessa forma; alguns foram criticados pela sua falta de transparência na “caixa preta”, onde os usuários tinham que ser muito hábeis em termos de programação e scripting apenas para destrinchar a linha do tempo de um processo de modelamento complicado. Isso não está certo. Software têm que existir para permitir que seus usuários façam seus trabalhos de forma rápida e fácil sem demorar anos aprendendo a desenvolver scripts difíceis. Eles devem ser intuitivos, acolhedores e facilmente assimilados por todos para que as organizações possam rapidamente disseminar habilidades em todas as suas equipes, permitindo que elas trabalhem com flexibilidade e de forma inovadora em um setor cada vez mais desafiador.

A Extensão de Contaminação do Leapfrog Works trouxe essa possibilidade para o setor de contaminação ambiental, oferecendo vantagens em produtividade, colaboração, redução de custos, velocidade, precisão, comunicação e minimização de riscos – em um setor que sente todas essas pressões, o tempo inteiro.

A Extensão de Contaminação da Seequent oferece:

  • Uma interpretação baseada em dados, transparente e auditável.
  • Ferramentas interativas e visuais dentro da extensão que tornam a geoestatística algo acessível para todos os geocientistas, e que garantem que todas as equipes consigam trabalhar com os dados.
  • Relatórios de massa e volume dos contaminantes, bem como avaliações de seções transversais que são dinamicamente vinculadas ao seu modelo de pluma. Elas serão atualizadas automaticamente à medida que seu modelo for alimentado por novos dados.
  • Dados de novos levantamentos geofísicos podem ser importados do Oasis montaj e serão automaticamente atualizados no modelo geológico.
  • Uma ferramenta chamada “Interrogate Estimation” (Interrogar Estimativa) proporciona fácil acesso aos detalhes que embasaram as decisões tomadas, auxiliando as agências reguladoras a compreenderem como essas decisões foram tomadas e ajudando a evitar os processos legais.