Skip to main content
EnergiaInsights do setor

INCRÍVEL GEOLOGIA – durante um ano de incertezas e pânico em relação a questões energéticas, o início das operações do maior parque eólico offshore do mundo ilumina o caminho literalmente.

By setembro 27, 2022outubro 17th, 2022No Comments

Em meio às discussões mais acaloradas sobre energia e seu preço, um botão foi silenciosamente acionado em algum lugar no dia 31 de agosto, e o maior parque eólico offshore do mundo entrou em atividade pela primeira vez.

Fonte: Centurion Lawyers and Business Advisors

Localizado a cerca de 90 km da costa de Yorkshire, no Reino Unido, o projeto Hornsea 2 enviou uma mensagem muito inspiradora sobre o futuro da energia renovável quando precisávamos de boas notícias. Em pouco mais de uma década, o Reino Unido viu a energia renovável de seu mix energético crescer de 11% para 40% no ano passado, e a maior parte desse aumento se deve aos recursos eólicos offshore. Portanto, existe um caminho.

Elogiando a equipe incrível por trás do projeto, Patrick Harnett, o diretor sênior do programa, confessou que eles concretizaram uma ideia audaciosa contra as expectativas dos céticos. Em 2017, observadores do setor haviam inicialmente dito que “o caso de negócios era impossível e simplesmente não podia ser feito.

No entanto, conseguimos construir o maior parque eólico offshore do mundo no ambiente desafiador e implacável do Mar do Norte em meio aos desafios de uma pandemia global. Onde antes não havia nada além de mar aberto, agora, um parque eólico gera energia limpa suficiente para abastecer mais de 1,4 milhão de residências do Reino Unido com energia renovável, segura e de baixo custo”, lembrou Harnett.

Especificações do projeto

  • 165 turbinas de 8 MW da Siemens Gamesa.
  • Cada turbina mede 204 metros de altura.
  • Capacidade total de 1,3 GW. Capacidade de abastecimento para 1,4 milhão de residências.
  • Ocupa uma área offshore de 462 km<sup>2</sup>.
  • Apenas uma rotação de uma turbina gera energia elétrica suficiente para abastecer uma residência média por 24 horas.
  • Inclui 380 km de cabos para exportação.

O Hornsea 2 é resultado do trabalho da empresa multinacional dinamarquesa de energia Ørsted, que é a empresa de energia mais sustentável do mundo desde 2019. Esse é o 13º projeto de parque eólico da empresa no Reino Unido, que inclui a instalação de sua milésima turbina em junho de 2021.

Embora seja um triunfo da energia verde, o projeto enfrentou alguns problemas. A pandemia de COVID-19 prejudicou metade da fase de construção, pois paralisou as obras da subestação offshore de 8 mil toneladas durante cinco meses. Em seguida, o navio especial que deveria transportá-la partindo de Cingapura sofreu danos e ficou preso no Mar Vermelho gerando atraso de mais seis semanas. Finalmente, o clima implacável no Mar do Norte gerou mais atrasos em fevereiro de 2022.

Fonte: Evwind

Especificações da construção

  • Fundações de monoestacas de aço fixadas a 26 metros no fundo do mar, cada uma pesando entre 730 e 1.220 toneladas.
  • Cada lâmina de 36 toneladas tem 81 metros de comprimento e é feita à mão em madeira balsa, fibra de vidro e resina.
  • Cabos de 66 kV ligam cada turbina eólica à subestação offshore (também a maior do mundo).
  • Estima-se que cerca de 8 mil pessoas trabalharam no projeto (no local e remotamente).

O Hornsea 2 está localizado não muito longe do Hornsea 1, que detinha o título de maior projeto do mundo até agosto. Anualmente, as turbinas da nova usina podem produzir 20% a mais de energia do que as do Hornsea 1, embora não sejam muito diferentes em tamanho. O Hornsea 3 é o próximo projeto com uma capacidade de 2,8 GW e capaz de abastecer mais de 3 milhões de residências. E há planos para um Hornsea 4.

Enquanto isso, outros projetos já buscam a posição de líder mundial do Hornsea 2. O grupo Dogger Bank Wind Farm, a mais de 130 km de distância da costa nordeste da Inglaterra, está saindo do papel com uma capacidade instalada definitiva de 3,6 GW, o que poderá gerar energia para mais de 6 milhões de residências.

Leia mais histórias sobre o setor energético

Saiba mais